Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 24 de maio de 2019

Notícias / Economia

Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios conta história de sucesso da rede de restaurantes Dom Sebastião

Da Redação - Vinicius Mendes

04 Mar 2019 - 16:22

Foto: Reprodução

Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios conta história de sucesso da rede de restaurantes Dom Sebastião
A história do engenheiro florestal aposentado Paulo Leite e da criação do restaurante Dom Sebastião com seu filho Paulo Vitor, foi tema de uma reportagem da revista nacional Pequenas Empresas & Grandes Negócios no último mês de fevereiro. Mencionando a famosa pizza de alho negro e o parmegiana com mussarela de búfala, a reportagem cita as releituras de pratos conhecidos criadas por pai e filho, e o sucesso obtido pelos dois. A matéria foi publicada no site da Revista PEGN.
 
Leia mais:
Dom Sebastião inaugura nova unidade com opções de angus e refil de refrigerante gratuito
 
A rede, que conta com unidades em Cuiabá e em São Paulo, faturou 11 milhões em 2018. No último dia 28 de fevereiro foi inaugurada uma nova unidade no Pantanal Shopping, desta vez na Praça de Alimentação. Com novo layout, carnes angus e refil de refrigerante, a loja promete ser uma das mais diferentes da rede.
 
O Dom Sebastião está no mercado desde 2007 e planeja conquistar outros estados. Depois de abrir três unidades em 2018, as perspectivas para 2019 também são boas, com a inauguração da unidade no Shopping Villa Lobos, em São Paulo, e, em breve, outra em Cascavel, no Paraná.
 
A reportagem da PEGN conta a trajetória de Paulo Leite e de seu filho na criação do restaurante, que acabou se tornando rede. A primeira unidade foi um sucesso e por três anos era possível ver filas se formando na porta, até que decidiram abrir mais um restaurante. A partir daí o negócio foi expandindo. Para 2019, a empresa planeja abrir oito novas unidades em todo país.
 
Leia na íntegra:
 
Na aposentadoria, enquanto muitos querem descansar e curtir a vida, outros preferem pensar em novas oportunidades. Foi esse o caso de Paulo Leite, que se aposentou em 2010, aos 54 anos, e se achava muito jovem para ficar parado. A busca por desafios o levou a criar a rede de pizzarias e restaurantes Dom Sebastião, que faturou 11 milhões em 2018.
 
Segundo Leite, a criação do negócio foi também uma forma de trabalhar ao lado de seu filho, Paulo Vitor, que, à época, cursava hotelaria e gastronomia. Atualmente, a rede conta com cinco unidades em Cuiabá (MT), uma em São Paulo (SP) e outras quatro em fase de instalação. A proposta da rede é, ao mesmo tempo, simples e sofistacada. Pai e filho criaram releituras de pratos conhecidos, utilizando ingredientes de boa qualidade. A pizza de alho negro e o parmegiana com mussarela de búfala são os carros chefes do negócio. 
 
“Sou engenheiro florestal e trabalhei por mais de 33 anos para o estado de Mato Grosso. Sinto que me aposentaram quando estava na minha melhor fase, com muito conhecimento adquirido e disposição para continuar”, diz Paulo Leite.
 
Acostumado a gerenciar grandes equipes e ajudar no combate de problemas complexos como o desmatamento na Amazônia, o funcionário público recém-aposentado ainda não estava pronto para desacelerar.
 
“Queria abrir algo com um dos meus filhos, Paulo Vitor, na época um chef em formação e hoje um profissional premiado. Pensamos em uma pousada no Pantanal, mas a ideia de abandonar a vida na cidade não combinava muito com a minha família. Uma pizzaria então nos pareceu uma boa opção”, lembra Paulo.
 
A ideia deles era criar um negócio que surpreendesse a população de Cuiabá, onde foi aberta a primeira unidade do Dom Sebastião. O espaço moderno, com 800 m², conta com espaço kids, bar completo, dois fornos a lenha e adega climatizada.
 
“Nosso cardápio caiu no gosto do cuiabano. As pizzas têm ingredientes de alta qualidade e farinha de longa fermentação, o que a deixa mais leve”, diz Paulo Vitor. “Nossos pratos têm assinatura exclusiva, como o filé a parmegiana feito com mussarela de búfala”.
 
Com filas de clientes na porta durante três anos, o passo natural dos empresários era abrir uma segunda unidade. E assim foi feito. “A sede era linda, mas reproduzir algo daquele tamanho não era viável. Fui então a fundo em pesquisas e encontrei uma nova tecnologia em fornos elétricos, que traz para a pizza a mesma qualidade das opções a lenha”, afirma Leite.
 
A tecnologia do equipamento permitiu a expansão da rede em shoppings e outros locais que não aceitam fornos a lenha, além de tornar possível a operação em espaços enxutos, como cozinhas de apenas 20 m².
 
Os empresários começaram a franquear o restaurante no final de 2017. Há três opções diferentes de modelo de negócio: loja de rua, shopping ou quiosque. Para 2019, a empresa planeja abrir oito novas unidades em todo país.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Leonardo
    05 Mar 2019 às 11:03

    Precisa melhorar a massa da pizza, muito dura. Tem que melhorar também o atendimento (pelo telefone não informam onde fica o estacionamento do restaurante, e fia-se perdido dando volta na quadra).

  • Rocha
    05 Mar 2019 às 07:42

    Que sucesso ??? Kkkkk

  • ZE NINGUÉM
    04 Mar 2019 às 23:15

    Veio na boa. Tá descaradamente na cara esse excesso de matéria do dom Sebastião.

Sitevip Internet