Olhar Agro & Negócios

Domingo, 08 de dezembro de 2019

Notícias / Agronegócio

Brasil está próximo de se tornar o segundo maior exportador de algodão do mundo

Da Redação - Thaís Fávaro

25 Abr 2019 - 15:01

Foto: Assessoria

Brasil está próximo de se tornar o segundo maior exportador de algodão do mundo
Com uma safra de 2 milhões de toneladas e o consumo doméstico estável em cerca de 700 mil toneladas/ano, o desafio para os exportadores de algodão, segundo o presidente da Associação Nacional dos Exportadores de Algodão (Anea), Henrique Snitcovski, será atingir a marca histórica de 1,3 milhão de toneladas embarcadas no período de julho de 2018 a junho de 2019, o que representa o excedente desta safra.Os principais destinos das exportações do algodão brasileiro são: China, Indonésia e Vietnã.

Leia mais
Especialistas alertam para riscos de agrotóxicos em MT; 26 usados no Brasil são proibidos na Europa
 
De julho de 2018 a março deste ano, o Brasil já embarcou cerca de 1 milhão toneladas de algodão em pluma, sendo que a China foi o principal país consumidor, ao ser o destino de 38% deste volume (ver quadro). “Acreditamos que durante os próximos três meses, que fazem parte do ciclo de exportação da safra 2018, o Brasil irá exportar a maior parte do excedente da safra e se tornar o segundo maior exportador do mundo”, diz Snitcovski. 

Ainda este ano, com a expectativa de uma nova safra recorde pela frente, que pode atingir 2,8 milhões de toneladas de algodão em pluma na temporada 2018/2019, segundo a Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), o país terá o desafio de aumentar consideravelmente sua participação no mercado internacional. “Além da qualidade da matéria-prima, regularidade no fornecimento e planejamento logístico, é fundamental que o Brasil se mantenha competitivo e presente nos principais mercados consumidores para fortalecer o relacionamento comercial e estar à frente de novas demandas de consumo das Indústrias Têxteis”, aponta Snitcovski. 

Apesar das perspectivas positivas, há muito trabalho pela frente, para que o Brasil não alcance apenas um recorde temporário, mas efetivamente se consolide como segundo maior exportador mundial, atrás apenas dos Estados Unidos, que lidera as exportações com mais de 3,5 milhões de toneladas no mesmo período. “A cadeia do algodão atua em conjunto, através de grupos de trabalho, para o constante aperfeiçoamento dos processos existentes e conquista de novos mercados”, afirma Snitcovski.  

O último recorde histórico com a exportação brasileira desta commodity foi de 1,03 milhão de toneladas, entre julho de 2011 e junho de 2012. Desde então, o volume embarcado oscilava entre 500 mil e 900 mil toneladas por ano.

De acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), em Mato Grosso a produção de algodão foi responsável por 53,8% dos embarques brasileiros, correspondendo a 106,8 mil toneladas do produto. As exportações no Estado alcançaram a marca de R$ 21.430.293.945 em 2018, superando os R$ 15.187.595.578 de 2017.
 
Sobre a Anea

Fundada em 2000, a Associação Nacional dos Exportadores de Algodão (Anea) tem como objetivo promover institucionalmente o algodão brasileiro nos mercados consumidores e ordenar as exportações brasileiras de algodão, defendendo os interesses da cadeia junto às autoridades públicas e privadas. A entidade foi responsável pela criação de diversos comitês no setor, dentre eles o Comitê de Logística, destinado a identificar problemas de infraestrutura em rodovias, ferrovias, armazenagem e portos. 

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • SENTINELA
    28 Abr 2019 às 10:51

    De que adianta essa produção toda se no Brasil existem 25 milhões de pessoas abaixo da linha da pobreza, 14 milhões de desempregados, favelas mil, esgoto a céu aberto nas principais capitais do país e eu gostaria muito em saber pra onde vai essa fortuna toda? Não temos ferrovia, não temos trem de passageiros, não temos metrô em Cuiabá, nossas rodovias a maior parte estão sem sinalização, cheia de buracos, algumas sem acostamento como é o caso da Rodovia Emanuel Pinheiro que após a rotatória do Manso, essa estrada se transforma na mais perigosa do país porque é repleta de lombadas, curvas e sem acostamento. Uma vergonha!

  • Duvida
    25 Abr 2019 às 16:37

    E o estado de Mato Grosso ainda está em crise????

  • Juracy Ady
    25 Abr 2019 às 15:27

    Chega a ser ridículo comemorar segundo maior exportador de tal commoditie. Um Sony Xperia vale mais que uma carreta de algodão. Brasil é um país subdesenvolvido...

Sitevip Internet