Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 17 de maio de 2021

Notícias / Agronegócio

ALMT

Operação da PF deixou a impressão "que toda carne brasileira é podre", diz Mauro Savi

Da Redação - Viviane Petroli

23 Mar 2017 - 11:37

Foto: Angelo Varela/ALMT

Operação da PF deixou a impressão
A operação "Carne Fraca" deixou a impressão "que toda carne brasileira é podre". A avaliação é do deputado estadual Mauro Savi (PSB), que assumiu nesta semana a Comissão da Agropecuária, Desenvolvimento Florestal e Agrário e de Regularização Fundiária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. Conforme o parlamentar, o "preço da arroba caiu e temos 20 navios em trânsito na China sem saber o que fazer".

Leia mais:
Média diária de exportação de carnes caiu de US$ 63 milhões para US$ 74 mil após Carne Fraca
 
Savi criticou nesta quarta-feira, 22 de março, ao assumir a presidência da Comissão da Agropecuária na Assembleia Legislativa, a investigação da Polícia Federal, que durou cerca de dois anos e obteve "dois laudos para tentar atingir dois grandes frigoríficos". Para o deputado estadual, a ação deixou a impressão "que toda carne brasileira é podre".
 
"Nos causa muita estranheza esta ação, porque prejudicou o país inteiro. Agora teremos que provar ao mundo que nossa carne é boa e a melhor", pontua Savi.
 
O deputado lembra que apesar da produção mato-grossense estar fora da investigação os reflexos são sentidos no Estado. "O preço da arroba caiu e temos 20 navios em trânsito na China sem saber o que fazer".
 
O Brasil é o maior exportador de proteína animal do mundo, sendo que 33% saem de Mato Grosso. "Isso irá repercutir no desemprego, na desaceleração do PIB. Quando o empresário fala em férias coletivas é demissão em massa. Isso irá ocorrer gradativamente em todo país. Se não matar bois, haverá milhares de desempregados. Temos que reverter logo está situação", lamentou.
 
Na quarta-feira, 22, os ministros da Agricultura, Blairo Maggi e da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), Marcos Pereira, foram sabatinados nos Senado. Na ocasião o MDIC revelou que a média diária de exportação de carnes que era de US$ 63 milhões, caiu para US$ 74 mil na última terça-feira (21).
 
“Se me perguntar qual o prejuízo que espero, a grosso modo, algumas contas que a gente faz preveem que o Brasil terá uma oscilação de mercado de 10%, aproximadamente. Estamos falando em números estratosféricos. Não sabemos ainda o tamanho da pancada que vamos receber”, disse Blairo Maggi, durante a audiência que reuniu as comissões de Assuntos Econômicos e Agricultura do Senado.
 
Até o momento, pelo menos oito países anunciaram a suspensão de compra da carne brasileira: México, Japão, Chile, Suíça, China, Hong Kong, África do Sul e Egito.
 
Além disso, a União Europeia e a Coréia do Sul anunciaram embargos. A Coréia, no entanto, voltou atrás da decisão.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet