Olhar Agro & Negócios

Sábado, 04 de dezembro de 2021

Notícias | Política

personalidade

"Não tenho terra na unha, mas precisava entender o setor" diz Taques ao ser homenageado em SP

Foto: José Luiz Medeiros / Gcom-MT

"Não tenho boi. Não tenho terra em nenhum vão da minha unha. Precisava entender o setor produtivo". A declaração é do governador de Mato Grosso Pedro Taques ao receber em São Paulo o prêmio de personalidade do agronegócio "Ney Bittencourt de Araújo", nesta segunda-feira 08 de agosto, durante o 15º Congresso Brasileiro do Agronegócio. Segundo o governador, Mato Grosso tem capacidade de produzir mais em menos, ou seja, sem ter que abrir novas áreas e ser responsável nos próximos 10 anos por cerca de 80% da produção nacional de grãos.

A premiação, segundo a Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), é em decorrência ao seu trabalho desempenhado para o setor do agronegócio mato-grossense e brasileiro. Além de Taques, o sócio fundador da Vignis, Sizuo Matsuoka, foi homenageado com o prêmio "Normam Borlaug".

Leia mais:
"O agronegócio carrega o Brasil nas costas", afirmam lideranças no Congresso Abag

Taques recebeu  a premiação das mãos do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Rui Prado. De acordo com Prado, Taques desde o ínicio de sua carreira política sempre buscou as entidades ligadas ao setor produtivo para entender como funciona o segmento. "Não é agricultor ou pecuarista, mas tem se dedicado para o desenvolvimento do agronegócio mato-grossense. Quando virou governador 'roubou' algumas lideranças do agro e levou para o auxliar na gestão de Mato Grosso e assim trazer melhorias não apenas para o segmento, mas para a sociedade como um todo.

Para Taques, receber a homenagem é uma "honra" mesmo não sendo produtor. Ele destacou que Mato Grosso é hoje um grande destaque mundial e referência em produção e preservação, visto 60% da sua extensão territorial ser área preservada. 

"Podemos produzir muito mais em apenas 40% de área sem necessitar derrubar uma árvore sequer. Estamos mostrando que é possível produzir de forma sustentável. Mostramos isso, inclusive, em Paris durante a COP 21", pontuou Pedro Taques, salientando que seu papel "não é produzir soja e boi, mas sim abrir caminhos para que se possa produzir".

Exportações

Logo após receber o prêmio, o governador de Mato Grosso foi questionado em coletiva de imprensa sobre o fato do Brasil e, principalmente, Mato Grosso ser grande exportador de commodities e pouco agregar valor para embarcar produtos ao exterior, ou seja, transformar. Taques frisou que "não vejo como vergonha sermos grande exportador de commodities, mas precisamos sim agregar valores. Sou contra lei que queira limitar o volume de exportação".




*A reportagem viajou para São Paulo a convite da Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG).

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet