Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 12 de maio de 2021

Notícias / Política

RUMO PAIAGUÁS

Agricultura familiar não será tratada como estorvo, diz Fávaro

Da Redação - Viviane Petroli

08 Set 2014 - 14:21

Foto: Assessoria

Agricultura familiar não será tratada como estorvo, diz Fávaro
O descaso com a agricultura familiar será um dos pontos ligados ao agronegócio a ser tratado pela gestão de Pedro Taques (PDT) caso seja eleito. A afirmação é do candidato a vice-governador, pela "Coragem e Atitude pra Mudar", Carlos Fávaro (PP). Hoje, o estado conta com cerca de 86.167 agricultores familiares, grande parte vivendo em assentamentos de reforma agrária e sem títulos das terras. Segundo Fávaro, ele não admite que a agricultura familiar seja tratada como "estorvo".

Em julho o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) anunciou para Mato Grosso a aplicação de R$ 800 milhões de crédito no Plano Safra 2014/2015 para a agricultura familiar. O volume é superior aos R$ 743 milhões captados durante a safra 2013/2014 pelos pequenos produtores. Na ocasião, em visita a Cuiabá, o secretário nacional da Agricultura Familiar, Valter Bianchini, declarou que na safra 2013/2014 R$ 513,3 milhões haviam sido destinados ao estado, contudo os pequenos produtores daqui acabaram captando R$ 743,7 milhões, quase R$ 30 milhões por contrato. Em entrevista ao Agro Olhar, Valter Bianchini, chegou a declarar que "Estamos verificando um crescimento do setor no Estado. Em termos de captação de crédito é um dos que mais evolui”.

Na safra 2013/2014 foram 25 mil contratos de Mato Grosso apresentados no Plano Safra. O recurso chega ao pequeno produtor através do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Leia também
Governo federal destina R$ 800 milhões para a agricultura familiar de MT
José Riva critica oportunismo de Fávaro sobre nova via de escoamento e lembra luta por ferrovia há dois anos
Vice de Taques avalia como ‘visão míope’ tese de Riva em brigar por ferrovia no Araguaia e desprezar a Norte-Sul

De acordo com dados do MDA, Mato Grosso conta hoje com 86.167 estabelecimentos da agricultura familiar, o equivalente a 76% dos estabelecimentos agropecuários do Estado. Hoje, 86% dos pequenos produtores produzem mandioca e 72% leite.

Durante a participação em uma reunião com acampados que aguardam para serem assentados na gleba Marzagão, região de Várzea Grande, na manhã de domingo (07), o vice-candidato pela coligação "Coragem e Atitude pra Mudar", Carlos Fávaro, declarou que caso o candidato ao governo Pedro Taques seja eleito é ele quem irá cuidar das questões ligadas a agricultura familiar, visto seu conhecimento profissional e pela história de vida como ex-assentado.

“Eu sei como fazer pra dar certo, por vir de um município que a base é um assentamento de reforma agrária e porque não aceito que a agricultura familiar seja abandonada, como acontece hoje com o atual governo. Não admito que a Agricultura familiar, setor de minha origem, seja tratada como um estorvo. Isso vai acabar no governo Pedro Taques. Não pode haver duas agriculturas, uma que dá certo e uma que não. As duas precisam andar juntas para trazer o desenvolvimento para o nosso estado", declarou Fávaro.

Segundo o candidato a vice-governador, atualmente o Estado importa cerca de R$ 900 mil por ano em produtos hortifrugranjeiros. Ele salientou ainda que irá trabalhar para que os acampados e assentados possam realizar seus sonhos, assim como ele e seu pai. Que possam ter o título da propriedade para garantir o sustento de suas famílias e não mais ser tratados pelo governo como um estorvo da sociedade".

Em 2 meses

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), nos dois primeiros meses de vigência da safra 2014/2015, R$ 5,36 bilhões foram acessados pelos agricultores familiares por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Tal volume equivale a 22% dos R$ 24,1 bilhões previstos para o setor nesta safra.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet