Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 17 de maio de 2022

Notícias | Tecnologia

novidade

Armas militares, ‘drones’ são usados nos campos para mapear áreas; Veja fotos

A empresa AGX já vendeu dez vants (veículos aéreos não tripulados) do tipo Tiriba, para empresas agrícolas interessadas em formar mapas de suas plantações; o modelo pesa 4 kg, pode carregar até 1,2 kg e mede três metros entre a ponta de uma asa à outra.

Foto: AGX/divulgação

'Drones’ são usados nos campos para mapear áreas e identificar falhas

'Drones’ são usados nos campos para mapear áreas e identificar falhas

Destinados inicialmente como instrumentos da estratégia militar dos norte-americanos, as aeronaves não tripuladas guiadas à distância ou com rotas programadas, conhecidos como ‘drones’, estão sendo usadas no campo por empresas agrícolas e grandes produtores para formar mapas aéreos das plantações, e as fotografias tiradas durante o vôo servem para executar as devidas correções.

Leia mais
Veja fotos dos aviões e helicópteros dos milionários do agronegócio
Falta de infraestrutura nas estradas e ausência de ferrovia alavanca vendas de aviões executivos

Alguns modelos chegam a 100 km por hora e podem carregar até quatro quilos, como o modelo AGPlane, da AGX Tecnologia Ltda, que tem autonomia de vôo de quatro horas com o tanque cheio. Na decolagem, o AGPlane ganha velocidade carregado por um carro.

Com uma câmera de vídeo ou fotográfica acoplada na dianteira, o drone da AGX transmite imagens em tempo real para um computador no solo, para obter informações sobre as condições dos plantios.

A empresa AGX já vendeu dez vants (veículos aéreos não tripulados) do tipo Tiriba, para empresas agrícolas interessadas em formar mapas de suas plantações; o modelo pesa 4 kg, pode carregar até 1,2 kg e mede três metros entre a ponta de uma asa à outra.

As imagens colhidas são analisadas por um programa de computador, e falhas indicadas na imagem ajudando os produtores rurais na sua correção. “Este novo modelo de mapeamento diminui o tempo gasto neste trabalho pela metade; antes os técnicos gastavam o dobro percorrendo canaviais para procurar problemas”, informa a empresa.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet