Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 18 de julho de 2024

Notícias | Energia

previsão

Moagem de cana na região Centro-Sul do país nesta safra deve aumentar em 10,67%, indica Unica

29 Abr 2013 - 14:55

RURALBR, COM INFORMAÇÕES DA UNICA E DA AGÊNCIA BRASIL

A União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) divulgou na segunda, dia 29, sua estimativa para a safra 2013/2014 de cana-de-açúcar da região Centro-Sul do país. A projeção indica uma moagem de 589,60 milhões de toneladas, crescimento de 10,67% em relação aos 532,76 milhões de toneladas processadas na safra anterior.


Os dados compilados indicam uma expansão de 6,5% na área de cana-de-açúcar disponível para a colheita na safra 2013/2014. Além da maior área disponível para colheita, a expectativa é de um aumento significativo da produtividade agrícola.

O elevado índice de renovação do canavial, que atingiu 20,49% da área total, diminuiu a idade média da lavoura a ser colhida na safra 2013/2014 e deve levar a um aumento de 3,10% na produtividade. As condições climáticas favoráveis também devem resultar em um crescimento adicional projetado de 4,57% na produtividade. O rendimento dos canaviais deve alcançar 80 toneladas por hectare, alta de 7,67% frente as 74,3 toneladas de cana-de-açúcar por hectare registrado na safra passada.

O aumento da área cultivada e da produtividade dos canaviais nesta safra deve resultar, de acordo com a Unica, em um crescimento total superior a 14% na disponibilidade de cana-de-açúcar para a produção de açúcar e de etanol no país da safra anterior.

A Unica também divulgou que apenas três novas unidades devem iniciar atividades na safra 2013/2014. Um dado que preocupa o setor é o fechamento de 12 unidades produtoras que processaram na safra anterior, mas deixarão de trabalhar por dificuldades financeiras.

Os resultados acumulados este ano, até a primeira quinzena de abril, entretanto, mostram um processamento de cana aquém do esperado, com 8,82 milhões de toneladas. O valor é significativamente inferior ao volume de 27,74 milhões de toneladas moídas no mesmo período da safra 2010/2011, quando, a exemplo deste ano, havia grande volume de cana disponível para processamento. Na avaliação do diretor técnico da entidade, Antonio Padua Rodrigues, isso se deve a um início de safra chuvoso, o que comprometeu a moagem estimada para o final de março e o início de abril, mês que inaugura a safra.

– Esperamos números mais positivos no andamento da safra.

Produção de açúcar e de etanol

Do total da moagem de cana-de-açúcar projetada para a safra 2013/2014, a Unica estima que 46,22% terá como destino a fabricação de açúcar, percentual inferior aos 49,54% registrados na safra anterior. Portanto, em 2013 haverá uma reversão da tendência observada nos últimos anos, com um crescimento na proporção de matéria-prima direcionada à produção de etanol.

Nesse cenário, a produção de açúcar estimada totaliza 35,50 milhões de toneladas, alta de 4,11% em relação às 34,10 milhões de toneladas fabricadas na safra 2012/2013. O volume produzido de etanol, por sua vez, deverá atingir 25,37 bilhões de litros, expressiva alta de 18,77% quando comparado à produção da última safra, de 21,36 bilhões de litros.

Destes 25,37 bilhões de litros, 14,17 bilhões de litros referem-se ao etanol hidratado – aumento de 12,18% em relação aos 12,63 bilhões de litros produzidos na safra anterior. O restante, 11,20 bilhões de litros, será representado pelo etanol anidro – considerável alta de 28,29% comparativamente ao volume observado no último ano.

A maior produção de etanol anidro projetada para a safra 2013/2014 se justifica pelo aumento do nível de mistura do produto na gasolina a partir de maio, quando o valor atualmente observado de 20% passará a ser 25%. De acordo Rodrigues, a expectativa do setor é que não haja uma redução nos preços do álcool mesmo com o aumento da oferta. Rodrigues acha difícil a oferta do etanol voltar a uma paridade de 60% a 65% em relação ap preço da gasolina.

– É difícil imaginar que vai fugir da paridade dos 70%, que é o limite [para que seja vantajoso o uso do etanol]. Acredito que vai ter um comportamento de preço parecido com isso – destaca o técnico.

Rodrigues reforçou que os produtores estão prontos para atender à demanda gerada pela medida do governo de incrementar a adição de etanol na gasolina.

– Temos fábrica para isto [produção de etanol anidro]. Grande parte deste mercado já está contratado pelas distribuidoras. Os contratos já foram registrados na Agência Nacional do Petróleo [Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)]. Estamos prontos – destacou.

Com o aumento da safra, ele informou que não deve haver problema no abastecimento.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet