Olhar Agro & Negócios

Domingo, 17 de outubro de 2021

Notícias / Agronegócio

1.3 milhão de tonelada

MT exporta quase metade do milho brasileiro no último mês

Verifica-se que Mato Grosso obteve desempenho muito superior ao dos demais estados brasileiros, pois o Paraná, que é o segundo maior exportador do país, em agosto, participou com 19% do volume de vendas externas brasileiras, exportando 524 milhões de toneladas, informa o Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea)

De Sinop - Alexandre Alves

02 Out 2012 - 10:58

Foto: Reprodução

MT exporta quase metade do milho brasileiro no último mês
O Estado de Mato Grosso foi responsável por 47% das exportações brasileiras de milho durante o mês de agosto, com 1.34 milhão de toneladas, segundo os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). Em âmbito nacional, o milho registrou recorde histórico de exportação no período, totalizando 2,76 milhões de toneladas.

Verifica-se que Mato Grosso obteve desempenho muito superior ao dos demais estados brasileiros, pois o Paraná, que é o segundo maior exportador do país, em agosto, participou com 19% do volume de vendas externas brasileiras, exportando 524 milhões de toneladas, informa o Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea)

Goiás contribuiu com 16% das exportações brasileiras, que correspondem a 464 milhões de toneladas. O Estado de Mato Grosso do Sul representou 7% do total exportado e, São Paulo, por sua vez, é pouco expressivo nas exportações do período, concentrando apenas 3%. Outros Estados registraram participação de 8% no volume total exportado.

E a perspectiva é que Mato Grosso continue exportando o cereal em grande volume, pois com a queda da produção e dos estoques nos Estados Unidos – maior produtor mundial de milho – tradicionais empresas consumidoras de ração animal comecem a focar o Brasil como potencial fornecedor do produto.

O reflexo do espaço vago ocupado pelos EUA no mercado exportador foi a evolução da exportação nacional, que atingiu 2,7 milhões de t em agosto. “Disso, quase metade, 49%, saiu de Mato Grosso. Esse espaço no mercado do milho, no contexto atual, necessita do suporte do cereal amparado em grande parte pela produção mato-grossense e isso pode dar um apoio aos preços regionais, que desaceleram sem um claro motivo”, analisa o Imea.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet