Olhar Agro & Negócios

Sábado, 08 de maio de 2021

Notícias / Agronegócio

Avicultura

É preciso estar muito atento à salmonela e à laringotraqueíte, afirma médico veterinário

Especial para o Agro Olhar - Thalita Araújo

18 Set 2012 - 15:45

Foto: Reprodução

É preciso estar muito atento à salmonela e à laringotraqueíte, afirma médico veterinário
A salmonela e a laringotraqueíte são duas das grandes preocupações na avicultura, doenças que podem trazer sérias consequências para a saúde dos humanos e das aves. O médico veterinário Rodrigo Collaziol alerta para o trabalho intenso que deve ser feito nas granjas e pede que o consumidor esteja atento ao que vai consumir.

Responsável pelo trabalho de sanidade da Granja Campo Verde, que leva o nome da cidade onde está localizada, o veterinário explica que a salmonela é de origem bacteriana e pode causar graves problemas à saúde de uma pessoa que consumir ovos contaminados.

Já a laringotraqueíte trata-se de uma doença viral, com uma proliferação extremante veloz e sua principal consequência é poder acabar com todo um plantel devido à facilidade com que passa de uma ave para outra.

Collaziol reforça que esses são apenas dois exemplos de preocupações mais graves, mas que existem diversas doenças que podem afetar uma granja e, em decorrência, os consumidores, o que deve deixar as pessoas em alerta para a origem dos produtos que serão levados para casa.

“Aqui na granja é feito um trabalho desde a portaria até a saída do ovo. É preciso que nós fiquemos tranquilos quanto ao produto que vai sair daqui. É necessário criar barreiras sanitárias biológicas e químicas para afastar os possíveis problemas”, explica o veterinário.

Questionado sobre algumas medidas tomadas a fim de criar as barreiras, Collaziol exemplifica que amostras de ovos vão para análise mensal de coloração, doenças, qualidade e outros aspectos.

Toda matéria-prima que chega à granja também passa por análises para descobrir doenças, além de vacinações periódicas das aves.

Os caminhões que carregam os ovos passam por uma lavagem e desinfecção especial ao chegarem à empresa, além de análises frequentes e prevenção de doenças nos pavilhões onde se encontram as aves.

O médico veterinário ainda explica que é preciso trabalhar para evitar que o plantel fique com a imunidade baixa, expondo-se a problemas com alimentação, calor excessivo ou mudanças bruscas de temperatura.

Granja de MT produz 800 mil ovos por dia e vende por todo Brasil e países vizinhos 

Algodão deve voltar a atingir patamar de bons preços apenas na safra 2013/2014

Laringotraqueíte

A laringotraqueíte é uma doença respiratória altamente contagiosa que acomete principalmente galinhas e outras aves. Anteriormente era conhecida como “difteria aviária”.

O vírus pode sobreviver por 10 dias a temperatura entre 13 - 23oC e pode permanecer viável por várias semanas na cama, dejetos ou em carcaças.

A doença causa hemorragia nas aves, até pelas penas, e tem um índice alto de mortalidade, de até 50%.

Salmonela

O ser humano pode contrair a salmonela através de alimentos de origem animal crus ou mal cozidos, sendo o ovo um dos principais condutores da bactéria.

A maior parte das pessoas infectadas apresenta diarréia, dor abdominal e febre. Estas manifestações iniciam de 12 a 72 horas após a infecção. A doença dura de 4 a 7 dias e a maioria das pessoas se recupera sem tratamento.

Em algumas pessoas infectadas, a diarréia pode ser severa a ponto de ser necessária a hospitalização devido à desidratação.

Os idosos, crianças e aqueles com as defesas diminuídas (diminuição da resposta imune) são os grupos mais prováveis de ter a forma mais severa da doença.

Uma das complicações mais graves é a difusão da infecção para o sangue e daí para outros tecidos, o que pode causar a morte caso a pessoa não seja rapidamente tratada.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet