Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 18 de julho de 2024

Notícias | Geral

tentam banir o uso

"Não há estudos científicos suficientes", diz diretor do Fórum Agro MT sobre correlação de herbicida com aumento do câncer

Foto: Reprodução

O diretor executivo do Fórum Agro MT, Xisto Bueno, afirmou que não há estudos suficientes para comprovar que o herbicida glisofato tem relação direta com o aumento de câncer no país. Na Justiça tramita uma recurso para tentar banir o uso do produto no estado.


Leia também:
Estudo da UFMT aponta correlação entre uso de agrotóxicos e aumento na incidência do câncer


Atualmente, o glifosato é um dos herbicidas mais utilizados nas lavouras do país. Pela Anvisa, ele é considerado pouco tóxico.

A substância atua no controle das plantas daninhas e dos restos vegetais de rotação de culturas além de auxiliar na decomposição de materiais orgânicos, contribuindo para a melhoria do solo a partir da reciclagem de nutrientes.

Recentemente, o glifosato está sendo apontado como um "facilitador" para o aumento do câncer. Um dos estudos que aponta uma correlação é da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Entretanto, o presidente do Fórum Agro MT afirmou que não há estudos suficientes que comprovem as acusações.

Uma Ação Civil Pública foi movida na Justiça para tentar banir o uso do glisofato no estado.

“Não há estudos científicos suficientes para basear a ação proposta na Justiça do Trabalho, e esse foi um dos motivos que embasaram fortemente a decisão de primeira instância para não dar ganho de causa para o MP”, afirmou Xisto Bueno.

O presidente da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Carlos Avallone, ainda comparou o uso do herbicida a uso de remédios.

“Em uma analogia simples, podemos comparar o uso do defensivo agrícola ao uso de remédios, que se usado na quantidade certa, na dose recomendada por especialistas, não tem problema nenhum. Inclusive, na última semana a Comissão de Meio Ambiente deu parecer contrário de forma unânime a um PL que tentava excluir o glifosato da produção em nosso estado”, complementou.  
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet