Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 24 de abril de 2024

Notícias | Geral

COMBUSTÍVEL MAIS BARATO

Etanol é vendido a R$ 2,73 em postos de Cuiabá; menor preço em dois anos

Foto: Olhar Direto

Etanol é vendido a R$ 2,73 em postos de Cuiabá; menor preço em dois anos
Mato Grosso possui o etanol mais barato do Brasil, pois é um estado produtor das matérias-primas utilizadas para a fabricação do combustível, como o milho e a cana de açúcar. No início de 2024, o consumidor está conseguindo abastecer seu veículo com o menor preço registrado desde meados de 2022, com valor médio de R$ 2,90, conforme dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, referentes até o dia 27 de janeiro.

Leia mais
Jovem de 22 anos é encontrado morto na frente de bar durante a madrugada




O Olhar Direto visitou alguns postos de Cuiabá e encontrou um valor ainda menor, de R$ 2,73 por litro do etanol, na avenida Dom Bosco, região central da Capital. O posto pertence à rede Amazônia Petróleo. Em outra unidade da rede, na avenida Miguel Sutil, o preço é de R$ 2,77.

Em conversa com o gerente Renato Luan Pereira dos Santos, do posto 11 da rede, ele reforça que a queda no valor do etanol começou em dezembro de 2023. Ele acredita que o preço vai fica estabilizado por um tempo, pois a colheita da safra 23/24 está sendo realizada.



“O custo do etanol é um pouco menor, pois temos produção de milho e cana aqui em Mato Grosso. E isso acaba sendo repassado para o consumidor. Já a gasolina e o diesel dependem do petróleo, cenário internacional e compra de dólar. Como é uma produção regional, que vem do milho, a tendencia é reduzir mais ainda nos próximos dias. Temos expectativa de estar saindo entre 2,70 a 2,60”, disse.

“A nossa venda em praticamente todos os postos da rede Amazonia Petróleo é de aproximadamente 80% do etanol. A diferença para gasolina fica muito grande. Só quem tem carro à gasolina que acaba abastecendo com ela, quem tem flex prefere o etanol”, completou.

Mas Renato também aponta que a tendência é ter um aumento no preço quando a colheita acabar, pois já foi noticiada a quebra da safra atual. O cenário ainda não foi afetado, mas será nos próximos meses, principalmente anos.

“A tendência é piorar, tanto é que estamos no final de janeiro e ainda não teve aquela chuva que esperávamos. No interior, os caminhoneiros reclamam que o volume de grãos está um terço menor. É realmente complicado, o cenário está difícil. A vantagem pra quem mora em MT é que o etanol sempre vai ser mais barato”, afirma o gerente.

Já para o diretor do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis de Mato Grosso (Sindipetróleo), Claudyson Martins Alves, o cenário atual da queda no valor do etanol é atípico para esta época do ano.

“Nós estamos na entre safra, então nessa época, o normal é aumentar o preço. Então, o que a gente acredita que seja é que os armazéns estão cheios de milho, e o etanol não está subindo, pois já era para estar subindo de preço. Na safra, ele vai baixando e agora era para subir. Como está tendo muita oferta, diminui o custo”, disse.

“O cenário é que o etanol está mais barato que um litro de água hoje, então ele vai aumentar. Não acredito que mantenha nessas condições. Essa semana eu acho que já aumenta, tem que aproveitar agora. O mercado de São Paulo já está tendo aumento e deve ocorrer isso aqui também”, completou.

O consumidor Pedro Ivo Rodrigues Ferreira Fernandes, é exemplo de quem está sempre acompanhando os valores do etanol. Dono de uma empresa energia solar, ele possui uma frota com três carros, que são abastecidos três vezes por semana. 

"Eu acompanho os preços todo dia praticamente. Abasteço três vezes na semana cada carro da empresa, com R$ 50. Então a gente nota cada baixada, toda semana vemos uma melhoria", disse o empresário. 

Ele lembra de quando o etanol chegou na faixa dos R$ 4, e à época, o mesmo valor usado para os abastecimentos dos veículos, rendia apenas 12 litros, que rodavam 120 km. Hoje, com os R$ 150 semanais, ele consegue abastecer 18 litros em cada carro, fazendo 180 km. 

No entanto, ele acredita que o preço dos combustiveis deve aumentar, principalmente devido à inflação. 

Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet