Olhar Agro & Negócios

Sábado, 18 de maio de 2024

Notícias | Geral

POUCA CAPACIDADE

Saca de 60 quilos de milho sofre desvalorização de quase 50% no preço com falta de armazéns

Foto: Reprodução

Saca de 60 quilos de milho sofre desvalorização de quase 50% no preço com falta de armazéns
Um  levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia (Imea) apontou uma desvalorização de 43% no preço da saca de 60 quilos do milho no mês de julho em comparação com o mesmo período de 2022. No mês anterior, a saca do grão chegou a ser cotada a R$ 33.


Leia também:
Produtor pode perder até R$ 10 em saca de milho por falta de armazéns, aponta diretor da Abramilho


Segundo o Imea, em julho do ano passado, a saca de 60 quilos custava R$ 58,48 sendo que neste ano o preço caiu para R$ 33,23.

Esse cenário é em decorrência do aumento da disponibilidade do cereal no mercado interno, do déficit de armazenagem e da perspectiva de uma produção de 50,15 milhões de toneladas, 14,39% a mais que a safra 21/22.

Além da forte pressão interna, para as próximas semanas o preço do cereal poderá ainda ser impactado pelas oscilações da CME Group devido à produção da safra americana ainda estar em aberto e ao aumento das tensões entre a Rússia e a Ucrânia.
 
O diretor-executivo da Abramilho, Glauber Silveira, apontou que os produtores do milho em Mato Grosso podem perder até R$ 10 por saca durante as vendas. Glauber afirmou que somente 20% das propriedades rurais possuem armazéns para os grãos. 

Com a dificuldade para armazenar os grãos, os produtores são 'forçados' a venderem o produto mais barato para grandes empresas para que não tenha prejuízo maior. Porém, os empresários acabam perdendo até R$ 10 por saca.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet