Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 24 de abril de 2024

Notícias | Tecnologia

Nova tecnologia

Mineração da baixada cuiabana lança solução para substituir uso do mercúrio

Foto: Assessoria

Mineração da baixada cuiabana lança solução para substituir uso do mercúrio
Lançado em evento realizado em Poconé (104 km de Cuiabá), o Sistema “Pelicano” permite substituir o uso do mercúrio no processo de amalgamação do ouro. A apresentação da tecnologia aconteceu na Mineração São Rafael, na semana passada.

Leia também 
Com 58% do CAR analisado, Mato Grosso se mantém na liderança nacional
Mineração de pequena escala brasileira é destaque em congresso do Banco Mundial

Desenvolvido pela empresa Brastorno, com apoio da MJM, o equipamento “Pelicano” funciona como um reator de fiação intensiva, onde o minério concentrado é submetido a lixiviação e através do processo de eletrodeposição, o metal é recuperado e se torna adequado para a fundição.

Segundo o CEO da Brastorno, Igor Justino Fernandes, a tecnologia surgiu da necessidade de aumentar a produtividade do ouro para o pequeno minerador, já que nesse processo a recuperação é maior, além de se adequar a atividade para a nova realidade, que busca uma mineração mais sustentável: “Essa solução nasceu de um inconformismo nosso em ver essas operações com mercúrio. Além disso, a tecnologia busca aumentar a recuperação no processo final ao minerador e se preocupa com a questão ambiental”, contou Fernandes.

Poconé, que sediou o evento em que o sistema “Pelicano” foi apresentado, se destaca como um dos grandes municípios mineradores em arrecadação do CFEM (Compensação Financeira pela Exploração Mineral), contribuindo com a empregabilidade e o desenvolvimento socioeconômico da região.

Presidente da Cooperativa de Desenvolvimento Mineral de Poconé (CooperPoconé), André Molina, explica que o projeto vem sendo desenvolvido há pelo menos 5 anos, e que a alternativa, caso seja assertiva, será levada para as minerações de todo o país: “Hoje conseguimos lançar, instalar na sua fase primária o primeiro projeto de lixiviação para a pequena mineração no Brasil. A nossa ideia, caso dê certo, é que essa alternativa possa ser levada para todo o país, principalmente para a Amazônia, para acabar com a utilização do mercúrio”, frisou.

Para Pedro Eugenio, diretor de Operações da Fênix DTVM, comercializadora de ouro, Mato Grosso segue como exemplo e referência de boas práticas ambientais e de processos inovadores: "A maior satisfação de todos é conseguirmos de fato eliminar o mercúrio dos processos, fora o compromisso que o Brasil tem com o mundo sobre esta pauta e mais uma vez somos pioneiros", comemorou.

Em algumas semanas, outras mineradoras da baixada cuiabana devem testar a tecnologia, que recebe total apoio da iniciativa privada.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet