Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 01 de dezembro de 2021

Notícias / Pecuária

AGENDA EM SORRISO

Ministra afirma que embargo da China à carne brasileira é problema técnico e não político

Da Redação - Airton Marques / Do Local - Max Aguiar

28 Out 2021 - 14:51

Foto: Olhar Direto

Ministra afirma que embargo da China à carne brasileira é problema técnico e não político
Durante visita a Sorriso (341 Km de Cuiabá) nesta quinta-feira (28), a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina, negou que o embargo chinês à carne brasileira, que já dura cerca de dois meses, tenha razão ligada à política ou à postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em relação à China.

Leia também:
Leitão já fala como pré-candidato ao evitar apontar defeitos de Mauro: ‘como vou fazer a minha estratégia?’

“Comércio internacional é feito entre a parte técnica dos seus governos. Nós temos aí um problema técnico, não político”, disse, em coletiva à imprensa, logo após inauguração da Usina de Etanol de Milho FS.

O Brasil suspendeu de forma voluntária os envios de carne à China em 4 de setembro, depois da confirmação de dois casos atípicos de “doença da vaca louca” em rebanhos. Depois, no entanto, mesmo com o controle dos casos no país, a interrupção foi mantida pelos asiáticos.

Tanto a China quanto os produtores brasileiros têm interesse em retomar o comércio do produto, mas há um atraso provocado pelos trâmites e protocolos burocráticos. Por um lado, os chineses precisam rever a documentação e do outros os brasileiros precisam explicar o que ocorreu e mandar a documentação.

Ainda durante sua agenda em Sorriso, Tereza afirma que tem o interesse de ir pessoalmente à China para pôr fim ao embargo, mas garante que tenta solucionar a questão à distância.

“É uma série de documentos, tem aí a dificuldade do idioma, do fuso horário, mas enfim, estão caminhando. Nós mandamos agora o último pedido de informação para a China, deve ter ido ontem para lá e a Embaixada brasileira deve entregar até amanhã. Aí a gente vai ver se atendemos todas as perguntas e indagações que o ministério vem fazendo a respeito dos dois animais que tiveram o diagnóstico confirmado. Então, agora é aguardar esse momento, e eu espero que a gente tenha uma resposta positiva em breve”, pontuou.

Este ano houve um recorde de exportações de carne bovina para a China, com 177 mil toneladas vendidas em setembro. Com o embargo, o volume caiu bastante e o preço da arroba do boi no interior (15 Kg do animal) caiu de R$ 330 para R$ 250.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui
Sitevip Internet