Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Notícias / Indústria

Usina em Nova Marilândia começa a operar em dezembro e deve criar mais de 500 empregos diretos e indiretos

Da Redação - José Lucas Salvani

19 Nov 2020 - 11:59

Foto: Reprodução

Usina em Nova Marilândia começa a operar em dezembro e deve criar mais de 500 empregos diretos e indiretos
A usina ALD Bio, em Nova Marilândia (a 252 km de Cuiabá), entra totalmente em operação a partir de dezembro e deve criar 150 postos de trabalho diretos e 400 indiretos. A indústria já começa produzindo 112 milhões de litros de etanol por ano, além de 80 mil toneladas de grãos de milho secos por destilação (DDG) destinado à nutrição animal, num investimento total de R$ 160 milhões.

Leia mais:
História de solidez e credibilidade da Plaenge é apresentada em podcast da InfoMoney

A previsão para o primeiro ano de atividade da usina é absorver 262,5 toneladas de milho e gerar 42 megawatts (MW) de energia. O projeto ainda prevê a duplicação dessas capacidades na segunda etapa do empreendimento.

"Ter uma agroindústria em pleno Médio-Norte mato-grossense era um sonho acalentado por um grupo de produtores, e agora se torna realidade", comenta Marco Orozimbo Rosas, diretor executivo da companhia.

Motivados pelo associativismo, os produtores se reuniram na Cooperativa Agroindustrial Deciolândia (Cooad), de onde surgiu a ideia que hoje se concretiza. "A produção própria dos acionistas é suficiente para abastecer a planta com milho. Mas a ALD Bio terá autonomia para buscar outros fornecedores no mercado", observa Marco.

Com planos para novos empreendimentos na região, a indústria se modernizou. A então Alcooad, criada inicialmente para a construção do empreendimento, está dando lugar a uma empresa Sociedade Anônima (SA) e passa agora a atender pela marca ALD Bio  "Temos oferta de matéria-prima e a localização próxima aos municípios produtores faz com que a usina seja precursora de novos investimentos", antecipa o executivo.

Ao final de 2020, o Brasil fechará o ano com 17 usinas de etanol de milho em operação e uma capacidade instalada de 3 bilhões de litros do biocombustível. Mantendo-se esse ritmo, a projeção da União Nacional do Etanol de Milho (Unem) é de que no ciclo 2020/2021 sejam produzidos 2,6 bilhões de litros.

"Mesmo com o impacto causado pela pandemia da Covid-19, a produção de etanol de milho aumentou 93% de janeiro a julho de 2020, na comparação com o mesmo período em 2019. E a perspectiva é de que continue a crescer", pontua o presidente executivo da Unem.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet