Olhar Agro & Negócios

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Geral

Diferença entre homens e mulheres que realizam tarefas domésticas é de 13% em MT

Da Redação - Vinicius Mendes

15 Jun 2020 - 11:23

Foto: Freepik / Reprodução

Diferença entre homens e mulheres que realizam tarefas domésticas é de 13% em MT
A taxa de realização de afazeres domésticos no próprio domicílio ou em domicílio de parente em Mato Grosso foi de 86% em 2019, segundo o suplemento Outras Formas de Trabalho, da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Entre os homens, porém, essa taxa cai para 79,2%, e entre as mulheres, aumenta para 92,5%, uma diferença de 13,3 pontos percentuais. No ano anterior, a taxa total havia sido de 85,9%.

Leia mais:
Com menos de 20 dias para finalizar prazo, apenas 58% das declarações foram entregues em Cuiabá

A pesquisa investiga na quinta entrevista ao domicílio o tema Outras formas de trabalho, que abarca os afazeres domésticos no domicílio ou em domicílio de parente; o cuidado de pessoas (crianças, idosos, enfermos ou pessoas com necessidades especiais) no domicílio ou de parentes não moradores; a produção para o próprio consumo; e o trabalho voluntário.

Essas atividades não entram no cálculo de ocupação utilizada em outros módulos da pesquisa, por isso são chamadas de outras formas de trabalho, uma vez que também são consideradas trabalho, ainda que não precificado ou tratado como parte do PIB (Produto Interno Bruto) do país. Tratam-se de atividades não remuneradas que não fazem parte de outros módulos da PNAD Contínua.

Em Mato Grosso, foram 2,4 milhões de pessoas com 14 anos ou mais de idade que ealizaram tarefas domésticas no domicílio, enquanto 387 mil não realizaram. Preparar ou servir alimentos, arrumar a mesa ou lavar louça foi a atividade doméstica mais desempenhada em Mato Grosso no ano passado, seguida de cuidar da limpeza ou manutenção de roupas e sapatos.

O grupo de idade que mais realizou afazeres foi o de 25 a 49 anos. Do total, 858 mil não tem instrução ou tem fundamental incompleto, e 725 mil tem nível médio completo e superior incompleto. Em relação aos critérios de cor ou raça, a mulher preta (93,2%) foi a que mais realizou afazeres domésticos.

A taxa de realização de cuidados de moradores do domicílio ou parentes não moradores foi de 28,2%, a menor entre todos os estados do país, sendo de 22,9% entre os homens e de 33,2% entre as mulheres, uma diferença de 10,3 pontos percentuais. Do total de 2,7 milhões de pessoas de 14 anos ou mais, 777 mil realizaram tarefas de cuidados de moradores do domicílio ou de parentes não moradores. A principal atividade foi monitorar ou fazer companhia dentro do domicílio, seguido por auxiliar nos cuidados pessoais.

A média de horas dedicadas pelas pessoas de 14 anos ou mais de idade aos afazeres domésticos e/ou às tarefas de cuidado de pessoas foi de 14,6 horas semanais no estado em 2019. Entre os homens essa média cai para 9,5 horas por semana e entre as mulheres aumenta para 18,9 horas semanais. Entre os ocupados e não ocupados a média foi, respectivamente, de 12,2 horas semanais e 18,6 horas por semana.

Ao todo, 4,5% da população de Mato Grosso com 14 anos ou mais realizaram algum trabalho voluntário em 2019. Essa taxa cai para 3,5% entre os homens e aumenta para 5,5% entre as mulheres. O total de voluntários no estado caiu de 131 mil, em 2018, para 125 mil, no ano passado. Desses, 62,3% eram mulheres e 37,7% eram homens.

Já a taxa de realização de produção de bens para o próprio consumo foi de 9% no estado, sendo 8,6% entre os homens e de 9,3% entre as mulheres. Foram ao todo 247 mil pessoas de mais de 14 anos que trabalharam para o próprio consumo em Mato Grosso em 2019, sendo 116 mil homens e 131 mil mulheres.



Na capital

Em Cuiabá, o total de pessoas de 14 anos ou mais de idade que fizeram algum afazer doméstico aumentou de 423 mil, em 2018, para 424 mil, em 2019. A taxa da capital no ano passado foi de 84,6% no geral, sendo 78,6% entre os homens e 89,8% entre as mulheres.

A média de horas dedicadas pelas pessoas de 14 anos ou mais de idade aos afazeres domésticos e/ou às tarefas de cuidado de pessoas na capital foi de 13,4 horas semanais. Para homens, a média foi de 9,8 horas por semana, enquanto que para mulheres foi de 16,1 horas por semana.

Diferenças por gênero

Em média, mulheres dedicam 10,4 horas por semana a mais que os homens aos afazeres domésticos ou ao cuidado de pessoas em todo o país.

No ano passado, 146,7 milhões de brasileiros com 14 anos ou mais de idade realizaram afazeres domésticos, o equivalente a 85,7% desta população. O percentual de mulheres que realizam esses afazeres (92,1%) ainda é bem mais alto que o dos homens (78,6%). Em 2018, esses percentuais eram 85,6% (total), 92,2% (mulheres) e de 78,2% (homens), com variação de 0,4 pontos percentuais na taxa masculina.

Segundo Alessandra Scalioni Brito, analista do IBGE, a desproporção entre mulheres e homens fica mais evidente quando se considera o número de horas dedicadas aos afazeres domésticos e/ou aos cuidados com pessoas, em que as mulheres trabalham quase o dobro que os homens por semana - 18,5h contra 10,4h entre mulheres e homens ocupados no mercado de trabalho; e 24h contra 12,1h entres os não ocupados.

“No geral, sem discriminar ocupados e não ocupados, a quantidade de horas trabalhadas a mais por mulheres é crescente ao longo dos anos, passando de 9,9 horas a mais em 2016 para 10,4 horas a mais em 2019. Os homens só se equiparam a mulher quando moram sozinhos. E mesmo quando ocupadas no mercado de trabalho, as mulheres fazem mais afazeres e cuidados”, ressalta Alessandra.

A realização de afazeres domésticos é mais alta entre homens com curso superior completo (85,7%) e menor entre aqueles sem instrução ou com o ensino fundamental incompleto (74,1%). Entre as sete atividades que integram os afazeres domésticos, a única em que a taxa de realização masculina supera a feminina é a de Pequenos reparos no domicílio: 58,1% para homens e 30,6% para mulheres.

A produção para o próprio consumo foi realizada por 12,8 milhões de pessoas com 14 anos ou mais, ou 7,5% da população nesse grupo etário. A taxa de realização dessa atividade foi maior entre os homens (8,0%) do que entre as mulheres (7,0%). Entre as pessoas de 50 anos ou mais, a taxa de realização é três vezes maior (10,6%) que a dos jovens com entre 14 a 24 anos (3,2%).

Em 2019, 54,1 milhões de pessoas de 14 anos ou mais de idade cuidaram de moradores no domicílio ou de parentes não moradores, com uma taxa de realização de 31,6%, sendo 36,8% para as mulheres e 25,9% para os homens. Cerca de 4,0% da população com 14 anos ou mais (ou 6,9 milhões de pessoas) fizeram trabalho voluntário na semana de referência da pesquisa. Em 2018, essa taxa foi de 4,3%. A região com a menor taxa de realização dessa atividade foi a Nordeste (2,9%) e a maior taxa foi do Sul (4,6%).

Veja os documentos pelo link, no canto direito.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet