Olhar Agro & Negócios

Domingo, 09 de agosto de 2020

Notícias / Agronegócio

Produtores de Mato Grosso temem reflexos da crise da Covid-19 no agronegócio

Da Redação - Vinicius Mendes

24 Abr 2020 - 14:58

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Produtores de Mato Grosso temem reflexos da crise da Covid-19 no agronegócio
O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Antonio Galvan, disse que os produtores têm visto com preocupação os reflexos da crise do coronavírus na economia. Ele disse que, apesar de uma melhora na produtividade no último ano, efeitos como a queda do valor do barril de petróleo pode prejudicar Mato Grosso na produção de milho, por exemplo.

Leia mais:
Maggi diz que acordo entre EUA e China pode prejudicar o Brasil e repreende críticos do país asiático

O decreto de calamidade pública, do Estado de Mato Grosso, foi publicado no último dia 25 de março, trazendo medidas para a prevenção da proliferação do coronavírus. Uma das medidas foi o fechamento de setores do comércio e recomendação de isolamento social.

O presidente da Aprosoja afirmou que tem acompanhado os reflexos desta crise com bastante preocupação, principalmente no que diz respeito à economia. Ele citou os possíveis problemas aos cofres públicos e a diminuição da geração de emprego no comércio, mas também nas indústrias. No setor do agronegócio ele afirma que os cuidados têm sido tomados.

"Apesar de que o nosso negócio não tem como parar, mas mesmo assim, tomamos mais cuidado. Estamos sempre ao ar livre, campo aberto, ou seja, mais dificuldade de contágio, mas mesmo assim tomamos precaução, porque querendo ou não é um problema que está instalado, esperamos realmente que isso venha a sanar rapidamente e voltar às atividades normais, porque isso vai representar uma queda muito grande na geração de emprego e isso é o que mais preocupa hoje", disse.

Galvan disse que Mato Grosso vinha em um bom ritmo de produção, após problemas com o custo de produção no ano anterior. No caso da soja houve uma média melhor de produtividade, mesmo com pouco aumento da área, e no caso do milho o aumento da área já foi bem maior, trazendo uma boa possibilidade de crescimento, em decorrência da aumenta da demanda por alimento no mundo. Porém, com a crise da Covid-19, o preço do barril do petróleo caiu, o que pode acabar prejudicando os produtores de milho de Mato Grosso.

"Vemos com preocupação, porque o etanol hoje, principalmente a nível de Mato Grosso, o grande reflexo é na produção de milho, isso pode vir influenciar diretamente no valor do milho. Esta queda do petróleo ninguém esperava desta forma, sempre queremos um combustível mais barato, mas não desta forma, porque atrapalha as outras economias, principalmente no que tange ao etanol".

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • dito
    26 Abr 2020 às 23:26

    O dolar a R$ 6,00 estão rindo a toa, bom que ajudará e muito os cofres do estado

  • Realista
    26 Abr 2020 às 14:38

    Estão preocupados... Ok! Mas esse pequeno grupo tem lastro financeiro para viver ricamente mais de 10 vidas se acaso as tivesse. Agora, imagina a preocupação daqueles que só tem o dia e a noite e que constituem a maioria da população brasileira. Por outro lado tenho certeza que esses barões serão aparados pelo poder publico, a quem eles não suportam, se der zebra para os negócios deles. A vida não é justa.

  • Sara celeste
    24 Abr 2020 às 17:02

    Estou adorando ver esses barões do agronegócio pagando com crise do coronavirus. Ô Glória!

Sitevip Internet