Olhar Agro & Negócios

Sábado, 14 de dezembro de 2019

Notícias / Logística

TCU dá aval para renovação da Malha Paulista e garante expansão de ferrovia em MT

Da Redação - Érika Oliveira

28 Nov 2019 - 12:01

Foto: Christiano Antonucci/Secom-MT

TCU dá aval para renovação da Malha Paulista e garante expansão de ferrovia em MT
O Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou a renovação do contrato da empresa Rumo Logística da concessão ferroviária da Malha Paulista, que vai de Santa Fé do Sul (SP), quase na divisa com o Estado do Mato Grosso do Sul, até o Porto de Santos, em São Paulo. A decisão produz efeito cascata e beneficia diretamente Mato Grosso, garantindo a expansão da malha ferroviária no Estado e deve viabilizar, ainda, a construção da Ferrovia Integração Centro-Oeste (Fico) e o prolongamento da Ferronorte. A chamada Ferrogrão deverá passar por Cuiabá e ser estendida até Lucas do Rio Verde, totalizando 1.180 km de extensão.

Leia mais:
Ferrovia poderia trazer 20 milhões de toneladas de carga industrial para Cuiabá por ano

“A Sinfra vai poder fazer o planejamento de investimentos em estradas onde estão grandes produções agrícolas. Essa notícia é muito importante e alvissareira porque nos deixa com a responsabilidade muito grande de trabalhar com foco onde estarão localizados os grandes terminais ferroviários, melhorando a logística de Mato Grosso”, comemorou o secretário de Infraestrutura e Logística do Estado, Marcelo de Oliveira.

O contrato da Rumo, que venceria em 2028, será renovado por mais 30 anos e valerá até 2058, conforme a decisão do TCU. A renovação também garantirá a manutenção do escoamento da produção agrícola e industrial de Mato Grosso, hoje todo feito via malha paulista.

Durante encontro com o governador Mauro Mendes (DEM), ocorrido em outubro deste ano, o diretor da Rumo, Guilherme Penin, adiantou que a previsão da empresa para os próximos 5 anos, com a renovação da “Malha Paulista”, é investir até R$ 15 bilhões na ampliação e melhorias da malha ferroviária. Parte desse montante será aportado em municípios mato-grossenses.

O planejamento da empresa é de levar os trilhos da ferrovia para as cidades de Cuiabá, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum. Ao todo, o projeto prevê a construção de três novos terminais para o transporte da produção agrícola e industrial.

Em junho deste ano, durante visita ao Complexo Intermodal de Rondonópolis (CIR), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas prometeu empenho do Governo Federal na agenda acima.

Um projeto que confirma a viabilidade técnica e econômica da ampliação da ferrovia em Mato Grosso foi elaborado pela Rumo e apresentado ao ministro. Tarcísio não estabeleceu data para que obras sejam licitadas, mas disse que a expectativa é de que os processos fossem iniciados ainda este ano.

“Estamos dando o primeiro e definitivo passo para viabilizar o planejamento de investimentos cruzados, uma parte significativa de uma estratégia para o governo ampliar a participação ferroviária na matriz de transportes do Brasil”, afirmou, esta semana.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Rick
    29 Nov 2019 às 08:32

    Eu Não entendo qual é o dos interioranos quando diz respeito ao malha ferroviaria passar , por Cuiabá , caramba sera que esse povo não consegue entender que a Grande Cuiabá e o maior centro de consumo de todo estado . veiculos , alimentos . Eletros e eletronicos .. tudo isso sim pode ser feito por transporte ferroviario .

  • Roger
    29 Nov 2019 às 00:49

    Aproveita o enbalo e faz trem para passageiros tbém !!!

  • Chico Bento
    28 Nov 2019 às 12:57

    Isso é muito bom! A vocação de Mato Grosso é o cultivo de lavouras, principalmente grãos, que com a ampliação dessa logística facilitará o escoamento além de tornar o frete mais barato.

  • Nilton Ferreira
    28 Nov 2019 às 12:55

    parece demais com o VLT . fala fala e nada

  • elton
    28 Nov 2019 às 12:20

    ai no terminal de carga de cuiaba a gente embarca tudo quanto idiota que acha que teve ter o terminal aqui, vai embarcar spo politico ladrao e afins, pq o que produz na baixada, me explica

Sitevip Internet