Olhar Agro & Negócios

Sábado, 14 de dezembro de 2019

Notícias / Geral

PIB de Mato Grosso cresce 4,5% no segundo trimestre de 2019 e ultrapassa média nacional

Da Redação - Vinicius Mendes

25 Nov 2019 - 11:41

Foto: Secom-MT

PIB de Mato Grosso cresce 4,5% no segundo trimestre de 2019 e ultrapassa média nacional
O PIB de Mato Grosso cresceu 4,5% no segundo trimestre de 2019, em relação ao mesmo período do ano anterior. O resultado foi superior ao apresentado pela economia brasileira, que registrou crescimento de 1,0% para igual período. Os dados fazem parte do informe técnico PIB Trimestral do Estado de Mato Grosso – 2° trimestre de 2019 –, divulgado pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), nesta segunda-feira (25).
 
Leia também:
Sentenciado por matar namorado de ex é condenado a mais 15 anos por outro homicídio
 
Dentre os três grandes setores que compõem a economia do Estado, a agropecuária cresceu 18,8% e serviços, 3,2%, no segundo trimestre. Por outro lado, a indústria apresentou variação negativa de -4,9%.
 
No acumulado dos últimos quatro trimestres terminados em junho, em relação aos quatro trimestres imediatamente anteriores, a economia mato-grossense cresceu 3,0%, enquanto a atividade econômica nacional registrou um aumento de apenas 1,0% no mesmo período.
 
Resultado por setores
 
Conforme o relatório do Sistema de Contas Trimestrais da Seplag, a agropecuária voltou a crescer no segundo trimestre de 2019 após apresentar queda de 0,6% no primeiro trimestre deste ano. O bom resultado está relacionado, principalmente, às lavouras temporárias, com destaque para o milho e algodão. O cultivo do arroz apresentou queda neste período. A pecuária também colaborou com o desempenho positivo da agropecuária, com o aumento nas produções de aves, suínos e bovinos.  
 
O setor de serviços também colaborou para o crescimento do PIB de Mato Grosso ao registrar o nono resultado positivo consecutivo no segundo trimestre de 2019, em relação ao mesmo período do ano anterior. Contribuíram positivamente as atividades do comércio, de transportes, de alojamento e alimentação e alugueis. A atividade da administração pública, por outro lado, teve influência negativa no trimestre.
 
Já na série trimestral de indústria, a atividade da construção civil continua a influenciar negativamente o setor, após apresentar 19 trimestres negativos consecutivos. A indústria de transformação apresentou a terceira queda seguida, refletindo o desempenho da fabricação de produtos alimentícios e de produtos da madeira. Positivamente, contribuíram a fabricação de produtos químicos, de minerais não metálicos e de biocombustíveis.  
 
Desempenho das unidades da Federação
 
Na comparação entre as unidades da federação que realizam o PIB Trimestral, Mato Grosso apresentou no segundo trimestre de 2019, em relação ao mesmo período do ano anterior, o segundo melhor resultado (4,5%), atrás apenas do Rio Grande do Sul (4,7%). No Brasil o crescimento foi de 1,0%.
 
Já no acumulado ao longo janeiro a junho de 2019, em comparação ao mesmo período de 2018, Mato Grosso cresceu 2,6%. Resultado inferior, novamente, apenas ao do Rio Grande do Sul (3,8%). O Brasil cresceu 0,7% na mesma comparação.
 
Em relação ao crescimento acumulado ao longo de quatro trimestres terminados em junho de 2019, o resultado de 3,0% de Mato Grosso foi o segundo melhor, atrás do Rio Grande do Sul (3,9%). O Brasil cresceu 1,0% nesta mesma comparação.
 
Mais dinâmico
 
Mato Grosso integra o grupo de nove Estados, além da própria União, que apresenta resultados mais imediatos da evolução da sua estrutura produtiva ao mensurar trimestralmente a soma de todos os bens e serviços produzidos.
 
O indicador antecipa a tendência do principal índice da economia a partir das mesmas fontes de dados e metodologia empregada pelo IBGE, responsável pelo cálculo oficial das Contas Nacionais. Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo também integram o grupo.
 

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • eduardo
    27 Nov 2019 às 11:44

    a pergunta que eu faço é quem está apropriando desse incremento do pib, quem? qual segmento, e a custa do esforço e trabalho de quem? a imprensa tem que colocar certos números com autocritica, avaliando os cenários social, econômico e ambiental, e com isso, o impacto desse suposto crescimento em diversos setores da nossa sociedade. caso contrário, são apenas numeros absolutos, sem nenhuma conexão com a realidade social que vivemos, e beneficiando apenas alguns. ou seja, desenvolvimento concentrador de renda e centralizado nas mãos de poucos. então, atende a quem o crescimento do pib se não há distribuição???

  • CHIRRÃO
    26 Nov 2019 às 07:48

    E porque bolas esse governo SÓ VIVE CHORAMINGANDO..

Sitevip Internet