Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

Notícias / Agronegócio

Presidente da Aprosoja-MT cobra destinação correta de recursos do Fethab

Da Redação - José Lucas Salvani

10 Abr 2019 - 18:20

Foto: Ascom/ Aprosoja

Presidente da Aprosoja-MT cobra destinação correta de recursos do Fethab
O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Antonio Galvan, cobrou que o Governo do Estado dê a destinação correta aos recursos do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab). Em discurso durante abertura da Parecis SuperAgro, Galvan afirmou que os produtores entendem que as áreas para as quais serão destinados 60% dos recursos do “Novo Fethab” são prioritárias, no entanto, há outras fontes de arrecadação específicas para essa finalidade.

Leia mais:
A pedido de Mendes, Assembleia aprova nova mudança na destinação do Fethab; R$ 70 mi vão para Saúde

“São importantes as outras áreas? São. Não temos dúvidas disso. No entanto, ao longo dos anos o que se vê é a falta de gestão eficaz na aplicação dos recursos, é isso que cobramos e vamos continuar o enfrentamento. O descontentamento é grande em todo o segmento. Passamos meses discutindo e tentando evitar que isso acontecesse, pois o setor já contribui e não estamos cobrando nada além do que é de direito”, disse Galvan.

Galvan defende que a alteração na lei do Fethab que aconteceu em janeiro impacta de forma negativa o setor, visto que somente 30% dos recursos do fundo serão utilizados para a destinação de origem.

Por conta do Fethab, há inviabilidade da produção de milho, garante Galvan. “Uma cultura na qual o produtor já tem margem negativa, com a cobrança do Fethab ficou ainda mais crítico. Precisamos retomar essa discussão ou a produção agrícola do Estado será toda comprometida”, disse.

Mudança na Fethab

A Assembléia Legislativa aprovou nesta quarta-feira (10) que 10% da Fethab serão destinados para a saúde pública. Segundo o governador Mauro Mendes (DEM), a porcentagem representa cerca de R$ 70 milhões para o setor. Anteriormente, o fundo era repassado para a Empresa Mato-grossense Especializada em Parceria Público Privada.

“Isso vai ajudar porque nós temos restos a pagar muito expressivos de 2018. Só na saúde são mais de R$ 600 milhões. Vamos melhorar muito a gestão, mas sem dinheiro não há milagre”, comemorou o governador, durante visita a Assembleia Legislativa na manhã desta quarta-feira.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet