Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 12 de maio de 2021

Notícias / Agronegócio

comércio agrícola

Brasil e Rússia querem expandir negócios em US$ 10 bilhões em cinco anos

Da Redação - Viviane Petroli

19 Abr 2017 - 08:12

Foto: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento/Divulgação

Brasil e Rússia querem expandir negócios em US$ 10 bilhões em cinco anos
Brasil e Rússia deram início a trabalhos para que a corrente de comércio agrícola bilateral suba para US$ 10 bilhões em cinco anos. Hoje, os negócios agrícolas entre os dois países somam US$ 5 bilhões. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, irá se reunir nesta quarta-feira, 19 de abril, com o vice-ministro de Agricultura da Rússia, Evgueny Gromyko, para reforçar o desejo do governo brasileiro de expandir os negócios agrícolas.

Leia mais:
Geller anuncia apoio de R$ 800 mi para comercialização do milho no Centro-Oeste
 
A ampliação de US$ 5 bilhões para US$ 10 bilhões da corrente de comércio agrícola bilateral entre Brasil e Rússia começou a ser discutida na terça-feira, 18 de abril, durante participação do secretário de Relações Internacionais do Agronegócio do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Odilson Ribeiro e Silva, na reunião do 4º Comitê Agrário Brasil-Rússia. O encontro contou ainda com a presença do secretário-executivo do Mapa, Eumar Novacki.
 
Conforme o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Brasil tem interesse em ampliar o mercado de carnes (bovina, suína e de frango), além de lácteos, enquanto a Rússia possui a intenção de exportar pescados, em especial o bacalhau.
 
Ainda segundo o Ministério da Agricultura, três estabelecimentos de pescado da Rússia já foram habilitados para comercializar pescado para o Brasil. Contudo, a Rússia deseja ampliar para mais de 108 o número de estabelecimentos pesqueiros.
 
Durante a reunião do 4º Comitê Agrário Brasil-Rússia foram discutidos também a concessão do prelisting, quando as autoridades sanitárias do país indicam os estabelecimentos exportadores ao país importador, bem como tratou-se de investimentos, cooperação científica e tecnológica e a participação em feiras e congressos para a promoção de produtos do agronegócio para a elevação do comércio bilateral.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet