Olhar Agro & Negócios

Sábado, 27 de novembro de 2021

Notícias / Logística

atoleiros

Tráfego de caminhões flui na BR-163 no Pará após chuva no sábado, diz DNIT

Da Redação - Viviane Petroli

05 Mar 2017 - 08:47

Foto: DNIT

Tráfego de caminhões flui na BR-163 no Pará após chuva no sábado, diz DNIT
O trânsito na BR-163 no Pará flui normalmente, após ter sido interrompido nos dois sentidos no sábado, 04 de março, pela manhã em decorrência das chuvas. A informação é do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). O tráfego de veículos, principalmente de caminhões, nos pontos em que atoleiros se formaram nas últimas três semanas está funcionando no sistema "Pare e Siga".

Leia mais:
Atoleiros na BR-163 provocam R$ 500 mi em prejuízos para transportadores e exportadores
 
De acordo com informações do DNIT, o tráfego de veículos chegou a ser interrompido nos dois sentidos da pista no sábado durante a ocorrência das chuvas, para a realização de serviços nos pontos que necessitaram de intervenção, após a passagem das carretas carregadas.
 
O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte explica, ainda, que no sábado durante o dia o tráfego das carretas fluiu no sentido sul, em direção a Mato Grosso, enquanto o trânsito para as carretas que trafegam no sentido norte, com destino a Miritituba, foi liberado a noite.
 
Os atoleiros foram registrados entre as comunidades de Santa Luzia e Bela Vista do Caracol no estado do Pará. E, de acordo com o DNIT, o trânsito de veículos neste trecho em questão irá prosseguir no sistema Pare e Siga, sob a coordenação da Polícia Rodoviária Federal e Exército.
 
"O sistema Pare e Siga gera uma pequena retenção, mas o importante é que os caminhões não ficam mais parados, não há mais aqueles grandes engarrafamentos", afirma o diretor geral do DNIT, Valter Casimiro, que se encontra no Pará, acompanhando a execução dos serviços.
 
Durante cerca de 15 dias, como o Agro Olhar comentou, aproximadamente cinco mil caminhões carregados com soja, principalmente, e outros produtos ficaram parados na BR-163 no Pará. Os prejuízos, segundo exportadores e transportadores, chegam a casa dos R$ 500 milhões.
 
O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, segundo o jornal Estadão, chegou a declarar que a safra recorde de soja em Mato Grosso e no Brasil está indo "para o ralo". A declaração de Maggi foi dada após reunião entre os Ministérios da Agricultura e Transportes, DNIT, setor produtivo e exportadores na última quinta-feira, 02 de março.
 
Devido aos caminhões "atolados" na BR-163 há relatos de soja ardida debaixo das lonas e até mesmo brotando.
 
A estimativa de fluxo médio de caminhões para esta época do ano na BR-163/PA é de 1.500 veículos por dia, pontua o DNIT.
 
Desde a noite de quarta-feira, 01 de março, as carretas começaram a ser liberadas no sentido sul, rumo à Mato Grosso. Já na quinta-feira, 02, o fluxo em direção a Miritituba passou a ser liberado, inicialmente carros e caminhões com cargas perecíveis, e posteriormente grandes carretas. Na sexta-feira, 03, à noite o luxo em direção ao Norte estava liberado.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet