Olhar Agro & Negócios

Sábado, 08 de maio de 2021

Notícias / Energia

crise energética

Horário de verão pode ser estendido para março; Previsão em Mato Grosso é economia de 0,9% no consumo

Da Redação - Viviane Petroli

06 Fev 2015 - 11:41

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto

Horário de verão pode ser estendido para março; Previsão em Mato Grosso é economia de 0,9% no consumo
O governo federal estuda ampliar o horário de verão para março. A alteração do fim do horário tem como objetivo economizar energia diante o cenário de crise do setor elétrico e baixos níveis de chuva, inclusive em Mato Grosso. A previsão em Mato Grosso é uma economia de 0,9% no consumo de energia com o horário de verão.

A possibilidade de ampliar o horário de verão foi anunciada pelo ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, durante entrevista ao Jornal Nacional, da Rede Globo, na noite desta quinta-feira (05). Segundo o ministro, uma avaliação será realizada no dia 12 de fevereiro para que se possa ter uma "previsibilidade com relação ao ritmo hidrológico do final do mês de fevereiro e do começo do mês de março".

Leia mais:
Horário de verão começa dia 19 de outubro; Relógios serão adiantados em uma hora
Cemat prevê economia de 0,9% no consumo de energia no Horário de Verão

O horário de verão teve início no dia 19 de outubro e a previsão de término, a princípio, é em 22 fevereiro. O horário "estendido" está em curso nos Estados do Centro-Oeste , Sul e Sudeste.

Em Mato Grosso apenas 32 cidades não aderiram ao horário de verão por já possuírem um horário diferenciado, como é o caso de Barra do Garças que segue o horário de Brasília (DF).

A previsão do governo federal é reduzir em 4,5% o consumo de energia no horário de pico. Já no Estado a expectativa da Cemat é que nos 126 dias de horário de verão, considerando encerrando no dia 22 de fevereiro, haja uma economia no consumo de 0,9% no Estado, no Sistema Interligado Nacional (SIN) e uma redução de 5% na demanda de ponta.

No horário de verão 2013/2014 a redução da demanda por energia elétrica no horário de pico, considerado das 18h às 21h, foi de 4,8%.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet