Olhar Agro & Negócios

Domingo, 17 de outubro de 2021

Notícias / Energia

'Goiás se tornará referência nacional em energia', diz Marconi

Jornal Guardian Notícias

08 Out 2013 - 14:50

A previsão é do governador Marconi Perillo que cumpriu em Sevilha – Espanha, a parte mais ousada de sua agenda na Europa: Garantir incentivo governamental para instalação de coletores de energia solar capazes de produzir energia elétrica nas 20 maiores usinas de produção de etanol em Goiás.

A tecnologia de captação da luz solar e armazenamento de calor para a geração de energia, deve ser a solução para a cogeração das usinas de etanol em Goiás (produção de energia elétrica através da queima da palha e do bagaço da cana) que têm sua exportação de energia interrompida na entressafra ou em períodos de escassez de matéria prima. O projeto inclui o aproveitamento das turbinas que já estão em funcionamento, com energia solar de dia queima do bagaço da cana durante a noite.

O Governo do Estado de Goiás fez compromisso com as usinas de etanol e os detentores da tecnologia espanhola para a criação de uma política de incentivos para a produção e consumo de energia de origem solar, iniciando pela Jalles Machado, de Goianésia, que foi a pioneira no país em aproveitamento dos subprodutos do etanol para a produção de energia elétrica.

O governador Marconi Perillo declarou-se disposto a aprovar incentivos para a nova tecnologia como forma de viabilizar a disseminação a partir do Estado de Goiás. “ Já temos atuação na produção de energia limpa e renovável com uma planta de hidrelétricas, usinas de biodiesel e cogeração das usinas de etanol. Com o uso de tecnologia solar, Goiás se tornará referência nacional em energia limpa e contribuirá, como exemplo, para a concepção de um mundo sustentável”, diz Marconi.

Em visita à Abengoa – Empresa espanhola especialista em geração e transmissão de energia elétrica, na cidade de Sevilha, Marconi se comprometeu a envolver o Governo do Estado em grupo de trabalho junto com a empresa espanhola, o Sifaeg – Sindicato das Empresas produtoras de Etanol em Goiás e a UNB – Universidade de Brasília, para viabilização do projeto piloto em Goianésia – GO.

Nas próximas semanas será assinado, em Goiás, o primeiro protocolo de entendimento com distribuição das responsabilidades pela viabilização do projeto. O incentivo público será condicionado à implantação, em Goiás, da indústria de coletores solares que irão abastecer os projetos goianos de energia solar e permitir sua expansão para outros estados brasileiros.

A tecnologia espanhola superou as limitações das tradicionais células fotoelétricas que perdiam eficácia em dias nublados ou na falda de incidência direta do sol. Através de espelhos de captação da luz diurna, distribuídos em uma área de quase 1 km de raio e direcionados para um único ponto de convergência no alto de uma torre de 130 metros, é produzido e armazenado calor suficiente para movimentar uma turbina geradora de 18 megawatts de potência elétrica.

As torres são imponentes no meio de uma malha de espelhos, instalados em regiões livres de qualquer interferência para a insolação, com um foco luminoso no topo e caldeiras de armazenamento de calor na base. Uma imagem incomum idealizada por projeções futuristas que já se encontra em operação comercial desde 2007 na Europa.

Para o presidente da Abengoa no Brasil, Antônio Merino, as condições encontradas em Goiás são as mais favoráveis entre todos os estados brasileiros, considerando os níveis de incidência solar, interesse das usinas produtoras de etanol e disposição do poder púbico em incentivar a instalação da nova tecnologia. Informações do portal www.marconiperillo.com.br.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui
Sitevip Internet