Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 12 de agosto de 2022

Artigos

Bonito, né? E agora, quem paga a conta?

Por certo que a Polícia Federal é um dos pilares de sustentação da nação. Aplausos são merecidos pelo trabalho desenvolvido, principalmente na operação Lava Jato. Mas, convenhamos, o desserviço ao País, que se arrasta pós fatídico governo petista, decorrente da maneira com que fora divulgada a Operação Carne Fraca.

É lamentável. Todos sabemos que as instituições buscam os holofotes. A polícia federal não é diferente. Mas, bom senso e responsabilidade não podem ser deixados de lado, principalmente quando os efeitos de irresponsável divulgação já são perfeitamente previsíveis. Não há necessidade de ser especialista em mercado para se aquilatar que as exportações iriam despencar.

Dados divulgados por fontes oficiais atestam que em apenas 04 dias o Estado de Mato Grosso deixou de exportar US$ 21,840 milhões de dólares. O único setor da economia que ainda conseguia se sustentar, arrastando o Brasil, tomou um golpe que levará, talvez, o país ao nocaute.

E por que? Pela falta de responsabilidade da Polícia Federal ao anunciar uma operação que buscou durante dois anos interceptar carne adulterada. Achou? De que adianta agora publicar nota de esclarecimento informando que as únicas constatações fora em frigoríficos do Estado do Paraná e que dedicam-se a industrializar embutidos de frango. O estrago já está feito.

O ministro Blairo Maggi, desde que assumiu a pasta, tem se dedicado incessantemente a abrir mercado. Homem do campo e de visão. E agora Blairo? Terá que deixar de empenhar-se em abrir mercado para resgatar as exportações para os mais de 40 países que já travaram as compras. Como ficam os pecuaristas que estão com os animais prontos ao abate? Suas contas serão suspensas? As plantas frigoríficas situadas em Mato Grosso anunciaram a suspensão dos abates por uma semana.

Quem é da cidade não sabe que os animais quando atingem um nível de engorda não respondem mais aos alimentos e que se deixarem de ser fornecidos, o boi começa a perder peso. Logo, a conclusão é única, dinheiro jogado fora. A Polícia Federal irá indenizar os pecuaristas? Por certo que por serem servidores federais, e bem pagos, recebem seus salários em dia. E o pecuarista, como irá pagar seus fornecedores e empregados? Enfim, o estrago foi grande demais. A população, principalmente do Estado de Mato Grosso, precisa reagir e dar apoio à essa sofrida classe, que tem que se submeter às interpéries do tempo, variações de preços tanto da arroba como dos insumos e consumir como nunca a nossa carne, que é a melhor do planeta. Aqui se produz CARNE FORTE.
 
*Fábio Mello é advogado e pecuarista
Sitevip Internet