Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 19 de abril de 2019

Notícias / Economia

Energia solar pode reduzir taxa de condomínio em até 30%

Da Redação - Fabiana Mendes

10 Mai 2018 - 14:20

Foto: Reprodução/MRV

Energia solar pode reduzir taxa de condomínio em até 30%
Unindo sustentabilidade e economia, a MRV Engenharia lançou um condomínio, em Cuiabá, que terá um sistema completo de geração de energia solar, com placas fotovoltaicas. A medida promete reduzir em até 30% a taxa de condomínio.  Além disso, o condomínio disponibilizará de bicicletas compartilhadas, algo inédito no segmento em Cuiabá e Várzea Grande.

Leia mais: 
Créditos com taxas de até 6% estimulam adesão de pequenas empresas a energia solar

O Parque Chapada das Oliveiras é o primeiro na chamada Linha Bio, lançada pela companhia que é líder em imóveis econômicos no Brasil. A linha Bio apresenta um padrão elevado de conforto e bem-estar.
 
O local possui uma sólida estrutura e arquitetura elegante, sem perder a característica da economicidade.  O condomínio está enquadrado no programa habitacional Minha Casa Minha Vida e é um dos dez empreendimentos que serão lançados pela MRV na Grande Cuiabá ao longo do ano de 2018. 
 
O modelo de geração de energia solar são células fotovoltaicas capazes de produzir energia elétrica e, por consequência, economia no bolso de seus futuros moradores. De acordo com especialistas, a energia elétrica é o segundo item que mais impacta no valor da taxa de condomínio. Com o sistema, a energia economizada na área comum (na iluminação das áreas de estacionamento, lazer em geral, piscina, salões de festas e portaria) chega a proporcionar um abatimento na taxa condominial mensal da ordem de até 30%. 

De acordo com a MRV, nos próximos cinco anos, todos os empreendimentos serão lançados com o sistema de energia solar, iniciativa que está na matriz de sustentabilidade consolidada pela companhia. Para isso, a empresa deverá investir R$ 800 milhões no período, em empreendimentos em diferentes localidades do país. Atualmente, a MRV está em mais de 145 diferentes cidades. Um a cada 200 brasileiros moram num imóvel construído pela MRV.
 
Em Cuiabá e Várzea Grande, os lançamentos programados para 2018 mobilizam R$ 300 milhões em investimentos. O montante será aplicado na construção de 2.936 novas unidades habitacionais, impulsionando a geração de 1.290 novos postos de trabalho diretos, com a expectativa de geração de outros 3.800 empregos indiretos nas duas maiores cidades de Mato Grosso.
 
O condomínio
 
O empreendimento será construído no bairro Morada do Ouro, em Cuiabá. Próximo ao Pantanal Shopping, Parque Massairo Okamura, Tribunal Regional Eleitoral e Fórum de Cuiabá, estará localizado numa das áreas de maior ascensão e valorização imobiliária na capital mato-grossense. Entre as principais vias de acesso ao empreendimento, estão a Avenida Historiador Rubens de Mendonça, Avenida Thomé Fortes e Oátomo Canavarros.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Sei la
    15 Mai 2018 às 19:31

    Interessante essa iniciativa...deveriam reduzir o custo dessa energia fotovoltaica pra gente fugir dessa praga da energisa!!

  • Imposto pago retorno zero
    15 Mai 2018 às 18:43

    O GOVERNO NÃO INCENTIVA ENERGIA SOLAR PORQUE HOJE COBRA METADE EM ICMS E METADE EM COFINS NA CONTA ,ESSA EXPLORAÇÃO TEM QUE ACABER OS VEREADORES E DEPUTADOS NÃO AGEM PELO POVO

Sitevip Internet