Olhar Agro & Negócios

Sábado, 27 de novembro de 2021

Notícias / Geral

Brasil não aceita taxas impostas pela África do Sul às exportações de frango

João Henrique Bosco - Canal Rural

26 Out 2012 - 11:53

Depois de acusar os avicultores brasileiros de praticar dumping e sobretaxar as exportações de frango, o governo da África do Sul recuou e baixou as taxas nesta semana. Porém, o governo brasileiro já entrou com um processo na Organização Mundial de Comércio (OMC) acusando o país africano de protecionismo, não aceitou a medida e pretende esperar pela decisão do órgão.

O conflito entre os dois parceiros comerciais iniciou no final do ano passado, quando a África do Sul, a fim de proteger sua indústria, acusou o Brasil de vender o frango no mercado sul-africano por um preço abaixo dos praticados pelos produtores locais. O país sobretaxou o frango inteiro brasileiro em 62,93% e os cortes desossados em 46,59%.

As consequências no mercado surgiram ao longo deste ano. De janeiro a setembro, as exportações para o país diminuíram 5% em relação ao mesmo período de 2011. Do montante de exportações brasileiras do produto, 5% é destinado à África do Sul.

O presidente da União Brasileira de Avicultura (Ubabef), Francisco Turra, afirma que o mercado brasileiro é o mais atraente para os sul-africanos.

– Eles não produzem autosuficiência, produzem 84% da necessidade e buscam 16% em outros mercados. O melhor mercado para eles é o mercado brasileiro em todos os aspectos, não só o produto, mas a negociação que já está consolidada.

Para o analista de mercado José Carlos Hausknecht, o Brasil tomou a decisão mais certa em não aceitar a diminuição de taxas.

– Caso o Brasil consiga provar que a medida foi tomada de maneira errada, a gente ganha direito de retaliar a África do Sul, impondo restrições nas exportações para o Brasil, para que se tenha uma posição neste sentido.

Em relação à medida, Franciso Turra criticou a postura do governo sul-africano:

– Imaginaram que o Brasil fosse ceder, gostar. Ora, se nós aceitamos, mesmo que seja 1% de antidumping, é porque praticamos dumping. Os negócios são lisos e limpos e o governo tem que estar a nosso lado como está – conclui.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui
Sitevip Internet